Acordo comercial Vietnã e Indonésia

SETOR DE CONFECÇÕES TEME "CATÁSTROFE"

Estes países são atores relevantes no comércio internacional de têxteis e confeccionados. A Indonésia exportou cerca de US$13,2 bilhões em produtos do setor em 2018, sendo a 3ª principal origem das importações brasileiras (2019). Já o Vietnã exportou US$36,6 bilhões em produtos e foi a 4ª principal origem de nossas importações no setor, em 2019. Ambos são grandes produtores/exportadores e estão muito integrados com outros países asiáticos como China e Coreia do Sul, tanto em comércio quanto em investimentos.

Ressaltamos ainda que esses países possuem baixos níveis de ratificação de padrões internacionais de trabalho estabelecidos nas Convenções da Organização Internacional do Trabalho - OIT, e isso confere padrão inferior ao do Brasil em questões relativas a salários, jornada e segurança do trabalho.

Diante dos desafios sistêmicos já enfrentados pelas empresas brasileiras e considerando a falta de isonomia desses países em relação à aspectos fundamentais para competitividade, a Abit irá se manifestar de forma contrária aos acordos, que impactarão negativamente a cadeia produtiva nacional.

Fonte ABIT – Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção

SOBRE VIETNÃ E INDONÉSIA

Em comunicado, o Sindicato das Indústrias do Vestuário do Rio Grande do Sul (Sivergs), entidade que representa as empresas do setor no Estado, faz uma advertência drástica: afirma que um acordo comercial entre Brasil, Coreia do Sul, Vietnã e Indonésia, que está sendo negociado para reduzir taxas de importação de confecções vindas dessas regiões, pode gerar uma "catástrofe" Conforme o presidente da instituição, Silvio Colombo, há risco para ao menos 50 mil postos de trabalho no pais, redução de R$ 6,1 bilhões no PIB e até fechamento de fábricas, além de "não beneficiar em nada" as indústrias do vestuário. - Hoje, a taxa de importação de confecções está na casa dos 35%. Com o pacto, seria reduzida a zero. Não temos chance de exportarmos a esses paises, enfrentamos práticas desleais de comércio e desequilíbrio em questões trabalhistas e sociais, sem contar que nossa desvalorização cambial foi muito maior. Não tenho medo de dizer que seria até o fim do setor de confecção do país - afirma Colombo. Para tentar resistir, a entidade está articulando com a

Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit) maneiras de suspender o pacto ou, ao menos, reduzir os danos. - Nem calculamos os danos no Sul, mas a Abit prevê cerca de 50 mil postos de trabalho fechados no país - diz.

Coluna de Marta Sfredo, Zero Hora 09.11.2021.



A Abit elaborou um Perfil País que traz dados relevantes sobre Vietnã e Indonésia e pode oferecer elementos complementares para o posicionamento das Associações, Sindicatos e Empresas do setor. Clique nas imagens abaixo para baixá-los.


Perfil País Indonésia

Indonesia
.pdf
Download PDF • 1.12MB

Perfil País Vietnã

Vietnã
.pdf
Download PDF • 1.16MB

18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo